Tríptico de Nossa Senhora do Cabo

 

Breve nota sobre o Tríptico em forma de oratório de N.S. do Cabo pintado por João D. Filipe

A antiquíssima devoção a N. Senhora do Cabo Espichel está documentada por escrito desde o séc. XIV. Há por isso dezenas de imagens todas elas diferentes, registadas nestes estes 700 anos. Muito divulgada e popular é a estátua criada por Machado de Castro, um dos maiores da escultura portuguesa.

Este tríptico, obra inédita do Pintor JOAO D. FILIPE, que residiu a sua infância e Juventude neste concelho de Oeiras, acrescenta às imagens existentes, uma outra, segundo a sensibilidade do seu autor.

Assim a imagem central representa Nossa Senhora do Cabo Espichel, coroada, com doze estrelas, com o Menino nos braços. Nossa Senhora e Rainha apresenta-se inclinada  para Linda-a-Velha, representada por alguns dos seus edifícios mais característicos, para onde dirige o olhar. À esquerda dela, ao longe, do outro lado do mar, encontra-se representado o Cabo Espichel lugar do seu santuário principal e dos círios ou romarias.

Este conjunto das figuras tem como característica central uma forte verticalidade enfatizada pelo pedestal que eleva as figuras do meio das casas. Esta verticalidade e o resplendor das imagens, é uma alusão à imagem do farol dando a Nossa Senhor e ao Menino o lugar de indicar, no mar e na vida,  o caminho na escuridão, luz para as almas.

Nossa Senhora coloca o Menino no eixo central da composição. O olhar do Menino dirige-se directamente a todos os que contemplam a imagem, o que estabelece uma relação de proximidade. Com a mão direita abençoa, e na outra mão, o Menino segura um globo. Ele é o Rei do Universo, o Senhor do Mundo e a cruz brilhante  personifica o amor de Jesus Cristo pela Igreja.

Nossa Senhora do Cabo apresenta-nos assim o Menino nos braços, com suavidade, sem esforço, sinal exemplar da sua aceitação da vontade de Deus. É um convite que nos faz também, para todos os que contemplarem esta pintura.

À esquerda e à direita encontram-se, discretamente, em adoração e com vestes apagadas, representando a humildade, dois grandes santos de língua portuguesa, cujas relíquias permanecem sobe o altar desta paróquia.

De lado esquerdo São Nuno de Santa Maria. Nas suas demandas guerreiras, e devedor a uma profunda piedade mariana, não deixou dee cruzar o seu olhar com o Santuário do Cabo Espichel. Nas suas mãos um livro, sinal da vida contemplativa e um bastão, a evangelização. São Nuno está representado não como soldado mas já em idade avançada como monge.

No painel da direita, São Francisco Xavier está presente neste tríptico também por causa da sua relação com o Cabo Espichel. Foi  certamente o último marco que lhe foi possível avistar quando partiu em missão para a Ásia. A vara significa a vida dedicada ao anúncio da Salvação de Cristo. São Francisco abraça a cruz, abraçando assim a sua vocação.

Este conjunto de imagens foi pintado em tempera de ovo e outros materiais de pintura sobre madeira engessada e nele foram aplicadas mais de duzentas folhas de ouro fino alemão de 23 quilates.

Mariana Filippe

Mestre em pintura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s